Notícias

CEI das Maternidades reconhece melhorias no Evangélico, mas cobra mais informações

10 de setembro de 2015
CEI das Maternidades reconhece melhorias no Evangélico, mas cobra mais informações

Vistoria, realizada na manhã desta quinta, contou com a presença dos cinco vereadores que compõem a Comissão e da diretoria do hospital

Os cinco vereadores que compõem a “CEI das Maternidades”, Comissão Especial de Investigação criada para analisar situações envolvendo o atendimento médico a gestantes e recém-nascidos em Ponta Grossa – Pietro Arnaud (PTB), presidente; Pastor Ezequiel Bueno (PRB), relator geral; e Amauri Manosso (PT), Taíco Nunes (PTN) e Professor Careca (SD), relatores especiais –, fizeram uma vistoria no Hospital Evangélico na manhã do dia 10 de setembro. Também participaram da vistoria o presidente da instituição, Carlos Alberto Justus Madureira; a diretora administrativa, Rosecléia Simão Venske; o diretor técnico, Alberto Olavo de Carvalho; o tesoureiro, Cezar Finger; o diretor-presidente da Água Florestal e um dos mantenedores do hospital, Álvaro Scheffer; o vereador Jorge da Farmácia (PDT); além de outros funcionários da instituição.

Após a vistoria, iniciada às 10 horas e que abrangeu todas as instalações do Hospital Evangélico, a visita culminou em uma reunião, no auditório, durante a qual foi abordada a atual situação do hospital. A avaliação da Comissão é de que, muito embora tenha havido avanços na forma como o hospital vem sanando os problemas levantados pela investigação – principalmente no tocante à contratação de mais profissionais –, há a necessidade de a instituição prestar mais informações à Comissão.

Segundo Rosecléia Simão, antes da instalação da CEI das Maternidades (em 8 de julho), o quadro funcional da instituição contava com sete médicos obstetras; hoje, são 28, divididos em três escalas: quatro que fazem as visitas matinais rotineiras a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e ministram prescrições médicas e altas; seis que trabalham na porta de entrada do hospital fazendo a triagem das gestantes para encaminhamento ao atendimento de parto ou pré-parto; e 18 que trabalham em sistema de plantão obstétrico para realização de partos naturais, cesáreas e outras intercorrências obstétricas. Também aumentou de três para quatro médicos pediatras e foi mantido o mesmo número de médicos anestesistas: sete.

Antes da instalação da Comissão, havia oito enfermeiros e 36 técnicos de enfermagem. Hoje, esse quadro aumentou para 11 enfermeiros e 50 técnicos.

“Reconhecemos que houve melhorias no Hospital Evangélico. Durante a reunião de hoje [quinta], foi nítida a sensação de que o corpo administrativo e o corpo clínico do hospital estão empenhados em melhorar sempre mais”, disse o vereador Pietro Arnaud. “No entanto, ainda existe a necessidade de o hospital nos prestar mais informações”, completou.

Na tarde desta quinta, a CEI das Maternidades enviou ofício ao Hospital Evangélico requisitando cópia da escala de serviço dos profissionais médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem dos últimos 90 dias.

 

Oitivas

No dia 11 de setembro, a CEI das Maternidades aguarda a presença de Maria Eiko Kanda, fiscal do Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren/PR), para ser ouvida em oitiva às 14 horas, no Plenário da Câmara Municipal de Ponta Grossa. Para o próximo dia 18, está marcada a vinda de Flavio Kaiber, diretor-executivo da Santa Casa de Misericórdia, e Saulo Gabriel de Souza, diretor da Maternidade Santana.

(Fotos: Divulgação/CEI das Maternidades)