Notícias

Hospital da Criança não tem mais capacidade de atender adequadamente, aponta Diretor Técnico

13 de setembro de 2019
Fechamento Emergência

Diretor Técnico do hospital da criança afirma que a instituição não tem mais capacidade de atender adequadamente e solicita que não encaminhem mais pacientes ao hospital.

Recebi agora pela manhã cópia do Ofício n.º 359/2019, datado de 12 de setembro de 2019, sob o título “Fechamento Emergência” do Diretor Técnico do Hospital da Criança Prefeito João Vargas de Oliveira, onde o Médico requereu naquele momento redirecionamento do fluxo de paciente e apontou que: “…sob a responsabilidade técnica e preocupação com o bom atendimento aos pacientes do sistema único de saúde, informar que no presente momento atingimos nossa capacidade máxima de atendimento. Não resta espaço físico e as condições para o atendimento adequado aos pacientes encontram-se saturadas. Deste modo, solicitamos de forma responsável que, deste momento em diante e até que informemos a recuperação de nossas condições, os pacientes das devidas instâncias não sejam encaminhados a nossa instituição, sob risco de imprudências terapêuticas.

A correspondência foi enviada para a Coordenação do Samu/Siate, 3ª Regional de Saúde e Sesa.

A decisão da Direção Técnica surge após inúmeras denúncias de usuários que apontam esperar até sete horas por atendimento, conforme reportagens de 09/09/2019 na RPC.

Estamos entrando em contato com o governo municipal requerendo explicações e ações imediatas para resolução da situação.

O que se observa é que diariamente o Hospital da Criança tem sido alvo de críticas pela população, em decorrência do tempo de espera por atendimento. Essa situação tem se repetido, e é preciso das autoridades uma atenção e um investimento no local.

Num momento em que o Prefeito aponta que irá construir uma nova UPA, deveria pensar em fortalecer os equipamentos já existentes, com a determinação de contratação de novos médicos, evitando assim, tempos de espera de até sete horas, como divulgado pela RPC.

É certo que numa rotina hospitalar, há dias em que a procura por atendimentos é menor, por isso, a Administração precisa ter um planejamento e saber como identificar os momentos mais necessários para fortalecer o corpo clínico do hospital, evitando assim, sustos como o de ontem.

Em contato com a Secretária de Saúde, Angela Pompeu, a mesma afirma que: “essa é uma rotina dos serviços de saúde da cidade. O ofício vai para o Samu, para todos os hospitais, Central Estadual de Leitos, serviço aéreo, para notificar as condições do serviço de atendimento e evitar tumulto”.

Veja o Documento cujo nome é fechamento-emergencia

https://g1.globo.com/pr/campos-gerais-sul/noticia/2019/09/09/pacientes-esperam-ate-sete-horas-por-atendimento-no-hospital-da-crianca-em-ponta-grossa.ghtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_content=post&utm_campaign=g1-pr

 

Fechamento Emergência