Notícias

Pietro Arnaud diz que nova maternidade vai garantir residência médica em ginecologia e obstetrícia

3 de junho de 2016
Pietro Arnaud

Para vereador, esse fato também beneficiará nova Maternidade Pública, a ser construída em terreno anexo ao prédio do HURCG, para atender às gestantes de alto risco de toda a região

A nova maternidade do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HURCG), inaugurada na última segunda-feira (30), que atenderá às gestantes que passaram pelo Hospital Evangélico, vai garantir residência médica em ginecologia e obstetrícia em Ponta Grossa. A afirmação é do vereador Pietro Arnaud (Rede), vice-presidente da Câmara Municipal.

Segundo Pietro, a infraestrutura da nova maternidade permitirá ao Hospital Universitário ofertar residência médica em ginecologia e obstetrícia a partir de 2018, em convênio com o curso de Medicina da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Para o vereador, esse fato também irá beneficiar a nova Maternidade Pública, que será construída em terreno anexo ao prédio do HURCG, para atender às gestantes de alto risco de toda a região dos Campos Gerais – fruto da destinação de uma emenda parlamentar do deputado federal Aliel Machado (Rede) no valor de R$ 4 milhões, oriunda do orçamento impositivo da União para 2016. “Isso também fará com que Ponta Grossa também ‘exporte’ excelentes profissionais, transformando a cidade em um polo de formação médica, pesquisa e extensão”, diz Pietro. “Os benefícios ao município, portanto, serão incalculáveis”, completa.

Conforme informações do diretor-geral do HURCG, Everson Augusto Krum, a residência médica constitui-se em uma modalidade de ensino de pós-graduação destinada a médicos, na forma de curso de especialização. O curso é ministrado em instituições de saúde (como hospitais), sob a orientação de profissionais médicos de elevada qualificação ética e profissional, sendo considerado o “padrão ouro” da especialização médica. O Programa de Residência Médica, cumprido integralmente dentro de uma determinada especialidade, confere ao médico residente o título de especialista. A expressão “residência médica” só pode ser empregada para programas que sejam credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

 

“Como o Hospital Universitário tem potencial para solicitar duas vagas de residência médica, então poderíamos contar com dois residentes formados a cada ano”, argumenta Pietro. “Se aumentar o número de partos, consultas e procedimentos em ginecologia e obstetrícia, depois de formada a primeira turma, pode-se pedir aumento de vagas”, diz.

Segundo Pietro, a residência médica em cirurgia, no Hospital Universitário, começou com duas vagas. “Depois de três anos, mostraram que havia aumentado a produção e, daí, aumentaram para quatro vagas. Logo, a nova Maternidade Pública vai ajudar a aumentar a produção e a demanda de procedimentos, justificando, então, novas vagas na residência”, diz o vereador, ressaltando que esses são critérios estabelecidos pela Comissão Nacional de Residência Médica do Ministério da Educação (MEC). Conforme Pietro, a Maternidade Pública contará com cerca de 20 leitos para atendimento a gestantes de alto risco.

 

Projeto

Pietro teve acesso ao projeto da Maternidade Pública. Conforme o croqui, a construção da “Ala Especializada em Obstetrícia (Maternidade)”, em terreno anexo ao Hospital Universitário, será executada em dois pavimentos, contemplando a criação das seguintes áreas: 20 leitos de obstetrícia; três postos de enfermagem; duas salas de serviços; dois leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) pediátrica; dois leitos de UTI neonatal; uma copa; duas salas de utilidades; Quatro  instalações sanitárias para funcionários; dois depósitos para material de limpeza (DML); um elevador; dois quartos de plantão; uma recepção com sala de espera; duas instalações sanitárias para o público; um consultório para triagem; cinco consultórios para atendimento à gestante; duas salas de exame; uma sala administrativa; e duas salas de aula para estudo de caso. Tudo isso em uma área que mede de 1.023,34 m².

Veja os Projetos

PropostaPROPOSTA ALA MATERNIDADE-SUPERIOR

Proposta PROPOSTA ALA MATERNIDADE-TÉRREO

38_facebook_pietro_arnaud