Notícias

Pietro defende medidas urgentes para Souza Naves

7 de outubro de 2015
sousa-naves

Vereador utilizou tribuna, na sessão de 7 de outubro, para falar da situação da avenida

O vereador Pietro Arnaud (Rede), vice-presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa, utilizou a tribuna, durante a comunicação parlamentar na sessão ordinária de 7 de outubro, para defender medidas urgentes para resolver a situação da avenida Souza Naves.

Pietro iniciou seu discurso citando a audiência pública realizada no Plenário da Câmara na noite de 5 de outubro para discutir o assunto, convocada pelo deputado federal Aliel Machado (Rede). A audiência contou com a presença dos deputados estaduais Péricles de Holleben Mello (PT) e Marcio Pauliki (PDT), representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná  (DER/PR) e concessionária Rodonorte e moradores da região  do Borato, Vila Real, Portal do Norte e Cristo Rei.

“Essa audiência teve uma fala extraordinária do inspetor Haroldo, que há mais de 20 anos é policial rodoviário federal”, disse Pietro, referindo-se à visita que ele e Aliel Machado fizeram na noite de 25 de setembro à Souza Naves. “A população daquela região não aguenta mais o banho de sangue, e uma lombada, e talvez um semáforo, poderia melhorar a vida dessas  pessoas até uma obra ser realizada”, disse. “Entretanto, como algumas empresas não têm interesse, falam que isso vai gerar muitos acidentes, e o inspetor Haroldo nos garantiu que até pode gerar eventualmente algum acidente, mas não mortes. E é por isso que estamos certos em exigir isso”, afirmou.

 

‘Atípicas’

Na sequência, Pietro contou que, “no meio de toda a situação [na Souza Naves], aconteceram algumas coisas atípicas”. “Uma delas foi que um oficial de Justiça, cumprindo o seu dever legal, chegou e notificou todas aquelas pessoas informando que estavam proibidas de fazer manifestação, sob pena de descumprimento da decisão judicial, com apoio da polícia”, afirmou.

Segundo o vereador, a situação “ficou quente”, mas ele sugeriu às pessoas para que não descumprissem a ordem judicial. “Eu disse que elas poderiam se manifestar, pois é seu direito, inclusive na frente da Prefeitura de Ponta Grossa. Foi isso o que eu disse e garantimos a elas que iríamos debater o assunto”, contou. “Fomos lá chamados porque a população está cansada de moção de apelo e de conversa de político”, completou.

Foto: José Aldinan/CMPG: Vereador Pietro Arnaud durante discurso na tribuna, na sessão de 7 de outubro: “A população da região da Souza Naves não aguenta mais o banho de sangue”