Notícias

Pietro elogia trabalho feito pela Vigilância Sanitária

22 de fevereiro de 2017
vigilancia-sanitaria

Vereador também parabenizou Guarda Municipal pelo apoio ao órgão sanitário

O vereador Pietro Arnaud (Rede) utilizou a tribuna, durante a comunicação parlamentar da sessão ordinária desta quarta-feira (22), para elogiar o trabalho que vem sendo feito pela Vigilância Sanitária de Ponta Grossa, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Saúde. Ele se referiu especificamente à fiscalização realizada no final da manhã desta terça-feira (21) no estacionamento em frente a uma empresa localizada na rodovia BR-376.

Segundo Pietro, a Vigilância Sanitária fez o quarto trabalho de fiscalização junto a uma empresa, durante o qual foi feita abordagem a um serviço de entrega de marmitas a trabalhadores. Nessa fiscalização, dois profissionais da Vigilância Sanitária – um médico veterinário e uma inspetora sanitária – apreenderam 28 marmitas e 19 potes de salada. O vereador lamentou, no entanto, que tenha havido “uma situação bastante tumultuada” durante o trabalho de fiscalização. “Chegaram até mesmo a realizar um vídeo, que depois foi postado nas redes sociais. Ocorre que, na sequência, foram postadas inúmeras ofensas dirigidas aos fiscais, o que é lamentável”, relatou.

“Quero registrar aqui a importância da Vigilância Sanitária para a sociedade, pois a sua missão é proteger a saúde da população através do controle dos riscos sanitários”, afirmou. “Todos sabem que o papel desse órgão é muito importante. Sua função é a da saúde preventiva e o de garantir o bem-estar da comunidade como um todo, elevando a qualidade de vida da população”, completou.

“Sabemos que existe muita gente que trabalha como autônomo, ou mesmo na informalidade, e também sei também das dificuldades pelas quais passam os empresários do setor alimentício, sempre na preocupação de estar em dia com a documentação exigida pelo órgão. Mas quero salientar que os fiscais da Vigilância Sanitária estavam cumprindo o seu papel”, observou Pietro. “Não se pode expor o profissional”, concluiu. O vereador também parabenizou a Guarda Municipal, “que vem realizando um trabalho de apoio ao órgão sanitário”.

Pietro concordou com o vereador Daniel Milla (PV) que, em aparte, além de elogiar o discurso do colega, lembrou que a Vigilância Sanitária deveria reforçar a fiscalização em estabelecimentos que ele denominou como “clandestinos”. “Agradeço pela sua intervenção e até tenho uma proposta para que a Vigilância Sanitária se torne uma autarquia, para ter maior autonomia de trabalho”, disse Pietro.

 

Código de Saúde do Paraná

Em release enviado aos veículos de comunicação na tarde desta quarta-feira pela Assessoria de Imprensa da Prefeitura, intitulado “Vigilância Sanitária intensifica inspeções para garantir segurança alimentar”, a coordenadora de alimentos da Vigilância Sanitária de Ponta Grossa, Angela Soely Raimundo Pauli, explica que “se o vendedor não está de acordo com as determinações do Código de Saúde do Paraná [Decreto 5.711/2002] e da Resolução Sesa [Secretaria de Estado da Saúde] 465/2013, é obrigação do órgão inutilizar o produto na presença do proprietário”.

“A função da Vigilância Sanitária é prezar pela saúde da comunidade. O comércio de alimentos que não tem qualidade garantida é um crime contra o consumidor”, diz Angela, explicando que todos os fiscais “agem rigorosamente dentro da lei”. “Ou seja, após a primeira ocorrência em um determinado local, inspeções-surpresa serão realizadas para garantir que o mesmo problema não volte a ocorrer”, afirma.

De acordo com o release, apenas em dezembro de 2016, mais de cinco mil quilos de carne sem procedência segura foram confiscados em Ponta Grossa. “Ontem (21), casos reincidentes foram flagrados no estacionamento de uma empresa na BR-376. Há duas semanas, a Vigilância Sanitária já havia orientado ambulantes que vendiam marmitas no local sobre as disposições regularizadas por lei. Foram inutilizadas quase 30 unidades, além de quase 20 potes de salada que não estavam nos padrões de limpeza e armazenamento correto, pondo em risco a saúde do consumidor”, informa o release.