Notícias

Secretário estadual de Saúde autoriza construção da ‘Maternidade Pública’ em Ponta Grossa

7 de março de 2016
pietro

Decisão foi anunciada durante reunião, em Curitiba, com vereador Pietro Arnaud e deputado Aliel Machado; verba para obra, anunciada em outubro de 2015, é oriunda de emendas parlamentares do Orçamento Impositivo da União para este ano

O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, autorizou, na manhã desta segunda-feira (7), a construção de uma “Maternidade Pública” em terreno ao lado do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HURCG), no bairro de Uvaranas, em Ponta Grossa. O anúncio foi feito durante reunião, na sala do secretário, em Curitiba, da qual também participaram o vereador Pietro Arnaud (Rede), vice-presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa; o deputado federal Aliel Machado (Rede); Everson Augusto Krum, diretor-geral do HURCG; e Charles London, superintendente de Unidades Hospitalares Próprias da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

A verba para a construção da Maternidade Pública – no valor de R$ 4 milhões – foi anunciada em 22 de outubro de 2015 e foi destinada por Aliel Machado como parte das suas emendas parlamentares oriundas do Orçamento Impositivo da União de 2016.

De acordo com Pietro, o próximo passo será a apresentação, por Everson Krum, do projeto da Maternidade aos técnicos da Sesa. “Como, segundo o deputado Aliel, o recurso de R$ 4 milhões deverá ser liberado em julho próximo, é provável que o início das obras esteja previsto para início de 2017, com finalização no prazo de um ano e meio”, relatou o vereador.

Pietro relatou que Caputo Neto também autorizou o custeio de pessoal da Maternidade Pública pela Sesa. “O secretário nos disse que é um parceiro de Ponta Grossa nesse projeto”, disse o vereador. “Eu quero agradecer ao secretário, pela sua sensibilidade, e ao governador Beto Richa [PSDB], pela autorização da construção da Maternidade Pública em Ponta Grossa”, afirmou o vereador, que também fez questão de fazer dois agradecimentos: ao ex-prefeito de Ponta Grossa e ex-deputado estadual Jocelito Canto, atual apresentador da Rede Massa; e ao deputado estadual Plauto Miró (DEM), primeiro-secretário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). “Ambos foram muito importantes para que o governo do estado aceitasse a construção da Maternidade Pública”, explicou.

“A Maternidade Pública já é uma realidade. Porém, é preciso que se diga que a sua construção não significará o fechamento de alguma outra maternidade de Ponta Grossa, mas sim que a Maternidade Pública vai melhorar em muito o atendimento médico-hospitalar a gestantes e recém-nascidos, na cidade”, observou Pietro, lembrando, ainda, que sempre insistiu no pleito de se construir uma maternidade pública no município. “Demonstrei ao deputado [Aliel Machado] a necessidade de construirmos uma maternidade pública em Ponta Grossa e indiquei a ele […] que, nos últimos três anos, perdemos 221 crianças em Ponta Grossa – o que torna o nosso anseio pela concretização dessa vontade absolutamente indispensável”, afirmou o vereador em outubro do ano passado, quando da divulgação da verba para a construção da Maternidade Pública.